Como Servir um Vinho do Porto

Decantar Vinho do Porto

A decantação é um processo simples e agradável. Trata-se de verter o vinho lenta e suavemente num decantador de modo a que o sedimento permaneça na garrafa. Aqui vão uma ou duas dicas de decantação.

É melhor não se preocupar muito com o número exacto de horas de decantação entre a abertura de um vinho do Porto Vintage e o seu consumo. Um bom plano é abrir e decantar a garrafa um pouco antes dos seus convidados chegarem, ou logo após, se não estava à espera da sua visita. Isso deve dar-lhe tempo de sobra para que os aromas (também conhecidos como o “nariz” ou o “bouquet”) abram até ao final da refeição e para que o vinho possa ser apreciado no seu melhor.

Se a garrafa veio diretamente da sua garrafeira, ou onde quer que a tenha armazenado, não há necessidade de deixá-la de pé antes de decantação. No entanto, se suspeitar que o sedimento possa ter sido recentemente agitado, por exemplo, durante um acidentado passeio de carro do comerciante de vinhos para até casa, então o melhor é dar-lhe algum tempo para depositar.

Para evitar que as partículas de sedimento passem da garrafa para o decantador, há quem goste de decantar o vinho através de algum tipo de filtro. Os funis de decantação incorporam um filtro de metal e são úteis para este fim, mas não são essenciais. A peneira de metal servirá igualmente bem. Se tiver à mão um simples pano de algodão muito limpo ou de musselina branca ou lisa, este também será um bom filtro. Qualquer tipo de coador ou filtro usado, deve ser previamente lavado com água quente, nunca lavado com sabão ou detergente. Já os filtros de café de papel não devem ser utilizados porque afectam o sabor do vinho, mesmo se forem cuidadosamente lavados.

Na realidade, nenhum filtro ou coador é necessário se a decantação for realizada com cuidado e delicadeza. Se eventualmente algumas partículas de sedimento passarem para o decantador, isto não será uma grande catástrofe pois estas são completamente inofensivas e acabarão por se depositar no fundo do decantador.

Algumas garrafas antigas de vinho do Porto Vintage têm uma marca de giz branco pintado num dos lados da garrafa. Isto indica que a garrafa foi armazenada com a marca branca para cima e é melhor, embora não seja fundamental, segurar a garrafa na mesma posição quando a estiver a decantar. Se não houver nenhuma marca de giz, segure na garrafa com o rótulo para cima.

Para ser apreciado no seu melhor, o vinho do Porto Vintage deve ser bebido no dia em que a rolha é retirada pela primeira vez, antes que os aromas delicados e complexos, que se desenvolvem nas primeiras horas após a garrafa ser aberta, comecem a desaparecer.
Um decantador de vinho do Porto Vintage maduro a circular à volta da mesa depois de uma boa refeição com os amigos é um dos mais sociáveis e agradáveis prazeres que pode haver.
Como já foi explicado, um vinho do Porto envelhecido em madeira (incluindo o Late Bottled Vintage) não precisa de ser decantado e pode ser vertido diretamente da garrafa para o copo.

Parceiro:Croft Port

Anúncios

Rota das Estrelas 2016

  Um dos eventos gastronómicos mais aguardados do ano já tem data e lugar marcados para o arranque. O restaurante Il Gallo d´Oro, do The Cliff Bay, Porto Bay Hotels & Resorts, no Funchal, acolhe, a partir de 19 de fevereiro, a primeira etapa da Rota das Estrelas 2016. Isto para um ciclo de jantares muito especiais no único restaurante madeirense com uma estrela Michelin. 

Desta feita, o chefe de cozinha Benoît Sinthon é anfitrião de 16 chefes convidados para o Il Gallo d´Oro. Na sua maioria são chefes com estrela Michelin, oriundos de vários pontos da Europa. Juntos irão preparar ao longo dos cinco dias desta primeira etapa da Rota das Estrelas diversos jantares, o primeiro no dia de abertura, a 19 de fevereiro (19h00). Cada chefe vai apresentar a sua cozinha ao vivo em bancadas individuais, interagindo e partilhando dicas gastronómicas. O evento apresenta uma fusão de alta gastronomia, enologia e música. Uma noite que fica nos 140,00 euros por pessoa.

Destaque, ainda, para os jantares de degustação a 22 e 23 de fevereiro (19h00). Os chefes vão preparar em conjunto menus com, no mínimo, seis pratos exclusivos. Isto com a promessa de surpreender todos os presentes. Nestes casos os jantares orçam entre os 160,00 e os 200,00 euros.

Um programa que não se esgota à mesa. Esta Rota das Estrelas inclui demonstrações gastronómicas, workshops, degustações, vinhos e bebidas regionais, visitas guiadas, apresentação de produtos locais.

Fonte: Rota das Estrelas

Alvarinho Soalheiro Reserva 2013

Soalheiro 2014

As uvas de Alvarinho são colhidas manualmente a partir de uma seleção de uvas das  vinhas da Quinta de Soalheiro, produzidas segundo os conceitos da agricultura biológica onde é protegido o ecossistema vitícola fomentando a biodiversidade e a sustentabilidade ambiental. O microclima que influência a produção das uvas de Alvarinho é muito particular. Melgaço, a região mais norte de Portugal, está protegida por um conjunto de serras que permitem um casamento perfeito entre a pluviosidade, a temperatura e o número de horas de sol necessários à melhor maturação das uvas da casta Alvarinho. Esta boa exposição solar – local soalheiro – deu também o nome à parcela que esteve na origem da marca.

Soalheiro 2015

Soalheiro 2013 – uma colheita especial.

Notas de Prova:Cor amarela intensa, aroma elegante e persistente com nuances de barrica, mantendo a frescura e a fruta da casta Alvarinho. O sabor é encorpado e complexo.

Sugestão de Acompanhamento:Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves.

Vinificação:As uvas, exclusivamente da casta Alvarinho, são colhidas manualmente em caixas de pequena capacidade e transportadas para a adega num curto espaço de tempo. Após a prensagem, o mosto obtido decanta durante 48 horas, segue-se a fermentação e estágio em Casco de Carvalho Francês (barricas novas e usadas), tendo permanecido nas borras finas com batonnage periódica até final de Junho 2014.