Melhor vinho tinto de lote do mundo é alentejano

Vinho Blog

Sabe de onde vem o melhor vinho tinto de lote do mundo?

Este vinho alentejano convenceu os mais de 200 especialistas do setor que compunham o júri.

Pela primeira vez, um vinho de mesa português conquistou a mais alta distinção atribuída pelos Decanter World Wine Awards, a maior e mais importante competição do setor a nível mundial. O vencedor do título de “Best in Show – Best Red Blend” (melhor no concurso na categoria de vinhos tintos de lote/blend) foi o alentejano BLOG by TIAGO CABAÇO bivarietal ’13, que convenceu os mais de 200 especialistas do setor que compunham o júri.

A prova passou por três fases. Na primeira, foram provadas cerca de 17.200 referências, às quais foram atribuídas medalhas de bronze, prata ou ouro. Seguiu-se nova prova, apenas com os vinhos medalhados com ouro, para atribuir as medalhas de platina. Por fim, foi destacado o melhor entre os melhores em cada categoria, acrescentando à medalha de platina o título de melhor no concurso. A categoria “Best Red Blend”, ou seja, melhor vinho tinto de lote, é a mais disputada em todo o concurso, o que faz com que Tiago Cabaço, produtor que empresta o nome ao vinho, afirme ser “com imenso orgulho que recebemos esta distinção. Por um lado, porque é o reconhecimento do nosso trabalho e da nossa devoção à região. Por outro, porque este prémio eleva não só os nossos vinhos, mas também o nome do Alentejo e de Portugal enquanto produtor de vinhos de elevada qualidade. Estou convicto de que será um prémio muito importante para o setor.”

Vinho blog_13

O BLOG by TIAGO CABAÇO bivarietal ’13 é um vinho de terroir produzido à base de Alicante Bouschet e Syrah, duas castas emblemáticas da região. Um vinho feito na vinha, a partir das uvas das melhores parcelas, cuja produção é limitada pela própria natureza. Após a colheita, repousa durante quinze meses em barricas de carvalho francês, para conseguir maior estrutura. Com notas de frescura e fruta, este vinho reclama o estatuto de topo de gama do produtor, com pouco mais de nove mil garrafas produzidas.

Anúncios

O Concours Mondial de Bruxelles medalhou 369 vinhos portugueses

01 Prova de vinhos

O CONCOURS MONDIAL DE BRUXELLES (CMB) DE 2017 MEDALHOU 369 DOS 1.080 VINHOS PORTUGUESES INSCRITOS.

Na sua 24ª edição, realizada na cidade espanhola de Vallodolid entre os dias 5 e 8 de maio, o Concours Mondial de Bruxelles (CMB) medalhou 369 vinhos portugueses.

Com um total de 9.080 vinhos de 50 países inscritos para competir por medalhas de Grande Ouro, Ouro e Prata, este concurso mundial entregou 369 medalhas a Portugal – que tinha 1.080 vinhos inscritos.

Como o próprio concurso informa em comunicado enviado às redações, “as medalhas entregues a vinhos portugueses, representam 34% dos vinhos a concurso, um excelente rácio face aos concorrentes com maior número participações”.

Em termos de medalhas, 15 vinhos portugueses receberam Grande Ouro, 122 Ouro e 231 Prata.

Este ano o concurso contou com 320 jornalistas, compradores, sommeliers e enólogos de todo o mundo para avaliar os vinhos em prova. O Concours Mondial de Bruxelles (CMB) viaja todos os anos para um novo destino no mundo. Em 2018 o destino é Pequim e o evento irá realizar-se de 10 a 13 de maio.

Fique a conhecer abaixo a lista dos 15 vinhos portugueses que receberam a Medalha Grande Ouro neste concurso:

Quinta do Serrado Touriga Nacional 2011, Dão e Lafões;

Casa Ferreirinha Vinha Grande Red 2014, Porto e Douro;

Herdade do Rocim Alicante Bouschet, Alentejo;

Quinta do Espírito Santo Reserva 2013, Lisboa;

Quinta Da Vassala Reserva Chardonnay 2016, Lisboa;

Rebelde Red 2015, Alentejo;

Al-Ria Reserva 2015, Algarve;

D’Oliveiras Madeira Wines 1994, Madeira;

Morgado de Sta. Catherina 2015, Lisboa;

Sexy Red 2015, Alentejo;

Dalva White 2007, Porto e Douro;

Kopke Matured In Wood 1967, Porto e Douro;

Kopke 1937, Porto e Douro;

Quinta de Valle Longo Reserva 2014, Porto e Douro;

Paxis 2013, Lisboa.

Como Servir um Vinho do Porto

Decantar Vinho do Porto

A decantação é um processo simples e agradável. Trata-se de verter o vinho lenta e suavemente num decantador de modo a que o sedimento permaneça na garrafa. Aqui vão uma ou duas dicas de decantação.

É melhor não se preocupar muito com o número exacto de horas de decantação entre a abertura de um vinho do Porto Vintage e o seu consumo. Um bom plano é abrir e decantar a garrafa um pouco antes dos seus convidados chegarem, ou logo após, se não estava à espera da sua visita. Isso deve dar-lhe tempo de sobra para que os aromas (também conhecidos como o “nariz” ou o “bouquet”) abram até ao final da refeição e para que o vinho possa ser apreciado no seu melhor.

Se a garrafa veio diretamente da sua garrafeira, ou onde quer que a tenha armazenado, não há necessidade de deixá-la de pé antes de decantação. No entanto, se suspeitar que o sedimento possa ter sido recentemente agitado, por exemplo, durante um acidentado passeio de carro do comerciante de vinhos para até casa, então o melhor é dar-lhe algum tempo para depositar.

Para evitar que as partículas de sedimento passem da garrafa para o decantador, há quem goste de decantar o vinho através de algum tipo de filtro. Os funis de decantação incorporam um filtro de metal e são úteis para este fim, mas não são essenciais. A peneira de metal servirá igualmente bem. Se tiver à mão um simples pano de algodão muito limpo ou de musselina branca ou lisa, este também será um bom filtro. Qualquer tipo de coador ou filtro usado, deve ser previamente lavado com água quente, nunca lavado com sabão ou detergente. Já os filtros de café de papel não devem ser utilizados porque afectam o sabor do vinho, mesmo se forem cuidadosamente lavados.

Na realidade, nenhum filtro ou coador é necessário se a decantação for realizada com cuidado e delicadeza. Se eventualmente algumas partículas de sedimento passarem para o decantador, isto não será uma grande catástrofe pois estas são completamente inofensivas e acabarão por se depositar no fundo do decantador.

Algumas garrafas antigas de vinho do Porto Vintage têm uma marca de giz branco pintado num dos lados da garrafa. Isto indica que a garrafa foi armazenada com a marca branca para cima e é melhor, embora não seja fundamental, segurar a garrafa na mesma posição quando a estiver a decantar. Se não houver nenhuma marca de giz, segure na garrafa com o rótulo para cima.

Para ser apreciado no seu melhor, o vinho do Porto Vintage deve ser bebido no dia em que a rolha é retirada pela primeira vez, antes que os aromas delicados e complexos, que se desenvolvem nas primeiras horas após a garrafa ser aberta, comecem a desaparecer.
Um decantador de vinho do Porto Vintage maduro a circular à volta da mesa depois de uma boa refeição com os amigos é um dos mais sociáveis e agradáveis prazeres que pode haver.
Como já foi explicado, um vinho do Porto envelhecido em madeira (incluindo o Late Bottled Vintage) não precisa de ser decantado e pode ser vertido diretamente da garrafa para o copo.

Parceiro:Croft Port